Quarta-feira, 25 de Junho de 2008
Sobre a Pobreza e as Desigualdades

Se eu pudesse passar para o papel aquilo que em que acredito, fá-lo-ia assim:

 

"No entanto, no nosso canto europeu, deveremos fazer tudo o que pudermos, numa estratégia concertada e eficaz, para combater a pobreza - há muito a fazer, se houver vontade política para tanto - e também para reduzir drasticamente as desigualdades sociais. Até porque, como têm estado a demonstrar os países nórdicos - a Suécia, a Dinamarca, a Finlândia - as políticas sociais sérias estimulam o crescimento, contribuem para aumentar a produção e favorecem novos investimentos. Este é o objectivo geostratégico para o qual deveremos caminhar, se quisermos evitar convulsões e conflitos."

 

Ler tudo.



publicado por Carol_k às 21:51
link do post | Digam coisas | favorito
|

6 comentários:
De funes, el memorioso a 4 de Julho de 2008 às 00:49
É muito difícil imaginar um disparate maior do que esta proibição da pobreza por lei, proscrevendo-a como violação dos direitos do homem. Depois de muito pensar, só consigo ver um absurdo tão grande, num decreto que revogasse a lei da gravidade, declarando-a ilícita.


De Carol_k a 4 de Julho de 2008 às 14:03
Não há maior disparate do que acreditar num mundo que aceita, com naturalidade, a fome e a miséria. Que eu saiba, a gravidade faz parte da Natureza, tal como ela é. E a Natureza, essa, é justa, equilibrada e democrática (desgraças, maravilhas e génios há-os em todo o lado, em países ricos e pobres, nas famílias ricas e nas mais desafortunadas).


De Funes, el memorioso a 4 de Julho de 2008 às 19:31
Meu caro,

O disparate não consiste na recusa de nos conformarmos com a pobreza. Essa recusa é um imperativo ético.
O disparate consiste em acreditar que o problema da pobreza se resolve fazendo um decreto a declarar que todos passamos a ser ricos.


De Carol_k a 5 de Julho de 2008 às 00:53
A sociedade é tão organizada que não aceita assaltos, agressões nem violações. Infelizmente, leis, tribunais, castigos e reprovações (mesmo que morais, quando um menino tira um brinquedo ao seu amigo) não chegam para nos educar a todos. No entanto, crescemos numa sociedade que nos diz que tudo isto é mau.

E ninguém acredita que um problema se resolve com uma lei. Aqui, penso que estamos de acordo.

Mas um opinião (que deve ser) consensual serve para alguma coisa.


De Funes, el memorioso a 4 de Julho de 2008 às 19:38
Cara Carol K,

Influenciado talvez pelo nome do antigo Papa João Paulo II, associei o seu "nick" ao sexo masculino. As minhas desculpas.


De Carol_k a 5 de Julho de 2008 às 00:55
Estimado Funes,

Não tem por que se desculpar. É o mistério das novas tecnologias .


Comentar post

Autores
pesquisar
 
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23

25
26
27
28
29
30
31


O que já foi escrito

Um capítulo que terminou.

Cantinho do Fanático

Feliz 2009!!!

Véspera de Natal

O rolar de uma lágrima pe...

O regresso de o-mais-boni...

Santa baby...

Era brincadeirinha, pá!

Quase Jet 7 (e o Alvim es...

Boca do Inferno (ou a opi...

arquivos

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

links
subscrever feeds
Värnamo
Lisboa
Fazer olhinhos
blogs SAPO