2 comentários:
De naovaspacuba a 11 de Março de 2008 às 14:37
Fiz uma leitura rápida deste post e talvez por isso hajam algumas coisas que não percebi. Se alguém tiver vontade de me esclarecer agradecia:
“Têm, de 6 em 6 anos, uma aula (45 minutos) assistida pelo chefe da Direcção escolar. Essa assistência tem como objectivo a subida de
escalão.”
Portanto os professores podem andar a meter água durante 5 anos, mas se aqueles 45 minutos correrem bem sobem de escalão?


“As reuniões para efeito de avaliação dos alunos têm lugar durante o tempo de funcionamento escolar normal,nunca durante o período de férias. Sempre achei um pouco preverso os meninos irem de férias e os professores ficarem a fazer reuniões.”

Mas então os professores devem ter tanto tempo de férias como os alunos? Duas semanas no Natal? Duas semanas na Páscoa? Um mês em Agosto? E trabalhar? Quando é que trabalham?

“Total de dias de férias por ano lectivo: cerca de 80”
Este ano vou ter 21 dias. Então e aquela história da igualdade e da defesa dos trabalhadores e blá blá blá?

“Porém, acho que ficou claro que, [...] o ensino em Portugal se encontra em péssimo estado”
Enquanto houver gente a defender 80 dias de férias para os professores vai continuar em péssimo estado.


De Carol_k a 11 de Março de 2008 às 17:07
Novo esclarecimento: não se trata de defender 80 dias de férias! Não são 45 min de avaliação!!

Na realidade, se há profissão em que se é CONSTANTEMENTE avaliado é a do professor. Não conheço a idade do caro nãovaspacuba, mas cheira-me que deve ter andado na escola. E com tanto espírito crítico, deve ter avaliado os seus professores de alguma maneira. Eu, pelo menos, não abdiquei desse direito/regalia. E falei, e protestei, e agradeci!

Já nas outras profissões, podemos ter como avaliadores clientes, patrões, namorados, amigos.. agora é mais complicado enfrentar 30 pestinhas na idade do armário, ou isto não é avaliação??? Talvez, assumo, não suficiente. Mas e que tal pensar em qualquer justa e séria? Para evitar certas avaliações em que se contam mais votos do que votantes, como eu já tive o prazer de ver.

Quanto às férias, não defendo 80 dias de férias. Aliás, quem sou eu para defender um número? Não tenho e (mais uma vez não sabendo nada sobre o caro leitor) suponho que o caro naovaspacuba também não tenha grandes conhecimentos na matéria. Este ano vai ter 21 dias? Eu vou ter 25! Fogo, que mundo injusto. Abaixo os Call Centers, estão cheios de priviligiados!!!

Na realidade, eu não defendo coisa nenhuma em particular. Só peço que se faça algo com pés e cabeça! Não de repente, como quem tem uma única oportunidade de tramar todo um grupo de profissionais, não de qualquer maneira, não tão autoritariamente. Se é assim que estamos por cá, acho eu que nem em Cuba se faria tanta coisa à força!


Comentar post